Em debate na denúncia contra Temer, deputados mostrarão quem é contra eleitor | Cenário do Tocantins, Notícias, Política, Economia, Agronegócio
Palmas-TO 19/10/2019
Em debate na denúncia contra Temer, deputados mostrarão quem é contra eleitor

 

Membros da CCJ que rejeitaram o processo contra Temer

Membros da CCJ que rejeitaram o processo contra Temer

Hoje será aquele dia que os deputados federais mais uma vez jogarão contra os interesses dos seus eleitores, aprovar ou não a admissibilidade do processo que o presidente Michel Temer é acusado de envolvimento com corrupção e recebimento de propina.

No primeiro momento, antes do recesso parlamentar, a democracia teve um revés quando a maioria dos deputados federais membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), votaram contrário ao prosseguimento da denúncia contra Temer. Agora é a vez de todos os deputados, 513 ao todo, votarem ou não pelo prosseguimento da ação contra o presidente.

Pelo calendário estabelecido pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), às 14 horas o parecer deverá ser votado pelos deputados.

Acusação

Michel Temer é acusado pela Procuradoria Geral da República (PGR) de corrupção passiva com base em gravações e delação dos donos do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS.

Autorizado pela justiça, como parte de uma delação premiada, o empresário Joesley Batista gravou uma conversa com o Michel Temer, em março, no Palácio do Jaburu, que gerou a denúncia.

Como não poderia deixar de ser, Michel Temer nega ter cometido ilegalidades, embora haja várias comprovações de recebimento de dinheiro por pessoas diretamente ligadas a ele e recomendadas como sendo de sua máxima confiança, como é o caso deputado federal, Rocha Loures (PMDB),  preso no início de junho ao ser identificado em vídeo carregando uma mala com R$ 500 mil que seria destinado ao presidente.

Votação

Nesta quarta-feira (2), a votação só será aberta quando pelo menos 342 dos 513 deputados registrarem presença em plenário. Rodrigo Maia decidiu adotar esse critério para evitar questionamentos futuros na Justiça. A exemplo do que aconteceu no impeachment da presidente Dilma Rousseff, a votação será nominal e aberta (no microfone).

Para que a acusação da PGR siga adiante, são necessários 342 votos contrários ao parecer da CCJ que livra Temer da denúncia.

Negociações

Durante o recesso parlamentar, foram intensas as reuniões e conversas entre o presidente Temer e deputados. Interlocutores do governo estão confiantes de que vão conseguir enterrar a denúncia.

Numa tentativa de negociar com os deputados que irão julgar o parecer para a continuidade ou não do processo, Michel Temer é acusado de libera mais de R$ 4,8 bilhões em emendas parlamentares, justamente no momento em que faz cortes na saúde, educação, social e aumenta impostos e o preço do combustível.

(Com informações da Agência Brasil/ Foto: Luis Macedo – Câmara dos Deputados)

Matéria publicada em 01/08/2017



Indique esta Matéria para um Amigo Indique esta Matéria para um Amigo

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

Leave a comment

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Sérgio A. de Oliveira.
Rua 100, Nº 49 Qd. F17 Lt 01- Fone: (62) 98667-5775 / (62) 3255-8184 redacao@cenariotocantins.com.br - Goiânia - Goiás