MP de Temer pode levar Fies para bancos privados. Juros mais altos | Cenário do Tocantins, Notícias, Política, Economia, Agronegócio
Palmas-TO 20/10/2019
MP de Temer pode levar Fies para bancos privados. Juros mais altos

 

Deputado Alex Canziani (PTB-PR) apoia Temer na mudança do Ties. MP pode entregar programa aos bancos privados que cobrarão juros mais altos

Deputado Alex Canziani (PTB-PR) apoia Temer na mudança do Ties. MP pode entregar programa aos bancos privados que cobrarão juros mais altos

Impasse marca a discussão sobre a Medida Provisória (MP) 785/17 que faz modificações no Fundo de Fianciamento Estudantil (Fies). As mudanças não trazem benefícios para os estudantes.

De acordo com as alterações propostas pela equipe do presidente Michel Temer, os formandos terão que pagar de volta o finaicamento logo após a formatura, não tendo mais prazo para arrumar emprego, com um bom salário. A votação da MP está marcada para contecer hoje, 31, na Câmara dos Deputados.

Compactuando com a MP do governo Temer, o relator da proposta, deputado Alex Canziani (PTB-PR), defendeu as mudanças que, segundo ele, vão equilibrar as contas do fundo de financiamento estudantil.

“Com o crescimento do Fies em 2014, houve um completo desequilíbrio. Tanto é que o Tribunal de Contas da União apontou o desequilíbrio e certos gestores estão sendo questionados”, afirmou.

Canziani ressaltou que o programa será fatiado em três fundos diferentes – um voltado para a população de menor poder aquisitivo; outro custeado pelos fundos constitucionais; e outro vinculado ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Haverá taxa zero para a população de baixa renda e outros índices para os demais fundos.

No entanto, as alterações trarão mais prejuízos aos estudantes do que benefícios ao equilibrio para o programa anunciado pelo governo e pelo relator. De acordo com o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) a MP entrega o Fies aos bancos, principalmente os privados, que têm prática de cobrança de juros altos no Brasil, além das taxas e tentativas de vendas cruzadas de seus produtos.

“Essa medida é para restringir uma política pública fundamental que é o Fies, é para entregar aos bancos privados por juros escorchantes que nós conhecemos”, criticou.

Votação

O presidente da Câmara em exercício, deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG), afirmou que o Plenário pode votar medidas provisórias nesta semana.

“Algumas MPs que estão na fila para serem encaminhadas. A MP da mineração [MP 790/17] tem consenso. Então, a gente vai avançar, para depois entrar em outro ciclo na Câmara, que também é urgente”, disse Ramalho. Ele conduzirá a pauta do Plenário nesta semana, já que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, cumpre agenda oficial no Oriente Médio e na Europa.

Com informação Agência Brasil/Foto: Divulgação)

Matéria publicada em 31/10/2017



Indique esta Matéria para um Amigo Indique esta Matéria para um Amigo

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

Leave a comment

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

Sérgio A. de Oliveira.
Rua 100, Nº 49 Qd. F17 Lt 01- Fone: (62) 98667-5775 / (62) 3255-8184 redacao@cenariotocantins.com.br - Goiânia - Goiás